Buscar
  • @clínicadarciosilveira

Doenças oculares - CONJUNTIVITE


O que é?


A tão conhecida Conjuntivite é definida como a inflamação da membrana que reveste a parte externa do globo ocular, chamada de conjuntiva.

A conjuntiva é uma membrana transparente que reveste a parte branca do olho (esclera).


Causas, tipos e tratamentos


As conjuntivites são altamente contagiosas (especificamente as conjuntivites infecciosas) e ocorrem durante o ano todo, tendo maior incidência no verão. A principal forma de contágio é através do contato com objetos ou mãos contaminadas com vírus e/ou bactérias ou ainda pelo ar em ambientes fechados.

Existem basicamente dois tipos: a infecciosa (viral e bacteriana) e a alérgica. Vejamos suas principais características:


Conjuntivite viral: É altamente transmissível, sendo o tipo mais comum. Dura cerca de sete dias, podendo permanecer por mais tempo a depender do caso. Os olhos ficam vermelhos, ardem, coçam, lacrimejam, as pálpebras incham, aumenta a sensibilidade à luz e o paciente fica com uma forte sensação de corpo estranho nos olhos (sensação de areia). Em alguns casos, o paciente pode apresentar sintomas parecidos com o da gripe.

Como consequência do processo inflamatório, pode ser formada uma pseudomembrana (membrana esbranquiçada) por dentro da pálpebra.

Na maioria dos casos a conjuntivite afeta os dois olhos.

Não há um tratamento específico para este tipo, sendo usadas somente lágrimas artificiais e compressas com água filtrada e fria para alívio dos sintomas.


Conjuntivite bacteriana: dura em média uma semana e geralmente acomete os dois olhos. Aparecem sintomas como secreção ocular purulenta de cor esverdeada ou amarelada, intenso inchaço e forte vermelhidão no olho contaminado e os cílios podem amanhecer grudados. O lacrimejamento é menor do que nos casos de conjuntivite viral. O tratamento é feito com uso de colírios com antibióticos específicos. Também é importante lavar bem a região ocular e as mãos várias vezes ao dia.


Conjuntivite alérgica: diferentemente dos outros tipos, esta conjuntivite não é transmissível e pode durar mais de duas semanas (duração variável e de acordo com cada caso). Há coceira intensa e muito inchaço, porém o paciente deve evitar coçar os olhos, pois o atrito pode causar um trauma prejudicial a visão. A vermelhidão e o lacrimejamento não são tão fortes quanto nas demais formas de conjuntivite.

É importante identificar o agente causador da alergia, para que o paciente possa eliminá-lo/evitá-lo e cesse o quadro alérgico. Exemplos de agentes: maquiagem, perfume, poeira, pólen, ácaros, dentre outros.

Aqueles que usam lente de contato sem a higiene adequada estão mais sujeitos a esse tipo de conjuntivite.



Observação: Há também um quarto tipo menos comum chamada de conjuntivite tóxica, que por sua vez é causada por fatores externos como substâncias químicas, produtos de limpeza, cloro, fumaça de cigarro ou poluição.

Existe ainda a conjuntivite gonocócica, também chamada de conjuntivite neonatal. Esta é uma infecção sexualmente transmissível decorrente da gonorreia, que atinge os recém-nascidos. A infecção ocorre durante o parto, no momento em que há o contato da criança com as secreções genitais maternas.

O paciente apresenta secreção purulenta nos dois olhos e deve ser tratado imediatamente.


Recomendações de prevenção e para pacientes com conjuntivite


Havendo suspeita de conjuntivite, procure imediatamente um oftalmologista e nunca faça a automedicação. Somente o médico poderá fazer o diagnóstico correto e determinar o tratamento conforme a causa da doença.

Seguem abaixo algumas recomendações para prevenção da conjuntivite:

  • Lavar as mãos frequentemente, com água e sabão;

  • Não encostar nos olhos sem antes higienizar as mãos;

  • Não usar nem emprestar maquiagem dos olhos para outras pessoas;

  • Usar um sabonete exclusivo para a pessoa com os olhos infectados;

  • Nunca usar lentes de contato de outras pessoas;

  • Nunca usar lentes de contato durante o tratamento da conjuntivite;

  • Não encostar o frasco do colírio nos olhos;

  • Nunca usar colírios utilizados anteriormente por pessoa com conjuntivite;

  • Não levar crianças com conjuntivite para a escola até que a conjuntivite tenha sido tratada;

  • Não tomar banho de piscina ou mar quando estiver com suspeita de conjuntivite;

  • Utilizar apenas produtos descartáveis para limpeza dos olhos que estão infectados;

  • Lavar a roupa de cama e toalhas regularmente.


0 visualização

R. Maria Helena, 107 - Centro, Carapicuíba - SP, 06320-070, Brasil

Tel.:  (11) 4184 6060 | (11) 4184-2695 | (11)97352-8267 WhatsApp

©2020 by Clínica de Olhos Dárcio Silveira.